A ESPOSA AGORA É PUTA.O MARIDO É CORNO. SONHOS REALIZADOS.

Lena é a irmã casada da Lurdes, pouco mais nova, que venceu algumas barreiras, as que travavam uma batalha entre o sim e o não. Recentemente, em uma aventura, vamos dizer assim, e em um lugar público, se atirou de cabeça naquilo que viu. Porque? Por que seu desejo putanheiro foi mais forte, decisivo e ela fechou com chave de ouro, sua iniciação de ser   uma casada/puta. Depois de participar da putaria em família há pouco mais de 3 dias, onde foi deliciosamente fodida, claro, esse ato sexual fora do casamento    era consequência de desejos acumulados e não realizados. No dia seguinte, talvez carregando o peso de uma ainda indecisão sobre continuar ou parar, flutuava em pensamentos   pela praia, e foi dar no local onde sua irmã, chupou e fodeu por duas vezes com bem-dotados. Foram longos dois ou três minutos para caminhar 10 metros e abocanhar um grande cacete. Feito isso, voltava para casa quando conheceu o CABEÇA BRANCA e deu pra ele. Todo o seu dilema, Lena contou para mim e para a Lurdes, desde o momento em que vislumbrou na meia luz do local, um homem pauzudo tocando uma punheta. Isso relatei no conto                  OS DESÍGNIOS DE UMA CASADA DECIDIDA e que nessa mesma noite, acabou com o restante da munição fodendo com um 60tão que conheceu perto de   casa. As duas ações eram novidades na prática, já que em pensamentos, Lena havia dado para muitos dotados. Sobre esses acontecimentos, Lurdes conversou com a irmã. Estava tranquila, realizada por hora com o que fez, como fez e porque fez. Oportuna a conversa, para se dar um ou   dois toques sobre o comportamental da filhota. Sim! A filha da Lena. Bonita tal qual a mãe e a tia, deu mostras durante o passeio com a Sandra, de que tem desejos sexuais tanto por homens como por mulheres. Isso ficou claro quando Sandra no banheiro do Shopping deu um bei9jo de língua na garota. Sandra nos contou que aconteceu por que andando pelo recinto, as duas se tocavam, seguravam a mão uma da outra, aproximavam os corpos em bonitos e sensuais sorrisos e que esses detalhes tomaram forma de desejo sexual pertinente. A ida ao   banheiro foi pretexto para o beijo. A menina/moça se entregou total. Encostou seu corpo o mais que pode no da Sandra. A sua mãozinha desceu e alisou   a Buceta da 40tona que sentiu um desejo descontrolado de ali mesmo possuir com a boca, e com a sua Buceta aquela bela criaturinha delicada e safada. Entrou uma outra garota, meio se jeito, ficou olhando de lado as duas se beijando. Deu um sorriso para elas e saiu esquecendo de fazer seu xixi. Tanto que voltou, e fez. Um pouco disso e sobre isso, Lurdes queria conversar com a Lena. Faz tempo que você sabe que sua filha mais velha gosta de Buceta também? Faz   um tempo sim!  Eu desconfiei devido algumas  coisas  que  estavam  acontecendo por  conta  de  seu  desejo , até que  a  convidei para  uma  conversa  legal,  sem cobranças  nada …ela me  contou  que a  primeira vez   com uma colega da  faculdade, e  do jeito que aconteceu foi o  empurrão  que  ela  precisava  para cair na  real. Sou BI –  Hum…bom… ótimo…e  você  mana,  já pegou  ela ? – um olhar de mãe com complexo de culpa, Lena acenou positivamente com  a cabeça completando com : Já ! Na verdade, nós, nós pegamos.                       É importante colocar que essas descobertas sexuais   entre familiares, foram acontecendo muitos anos depois que cada uma das pessoas integrantes do clã atingiram a maior idade dando a impressão de que o processo “DESPENTELHAR BUCETAS “estava em compasso de espera na mente dessas pessoas.  E com o pai?  Ela já se meteu? –  Não! Apesar de eu já saber que o James tem uma tara enorme por ela! Incontáveis as vezes em que ele ao meu lado na cama, toca punheta me perguntando dela. É, minha irmã, isso ainda vai rolar! –  Vai! Sei que vai! Vou dar maior força. Entre questionamentos, revelações e putaria, combinaram que faríamos uma carne assada para logo mais à noite, já que as carnes mijadas seriam devoradas por hábeis bocas e grandes e grossos pintos.  James ao telefone informava que na manhã do dia seguinte viajaria pra cá e que passaria nos parentes para   trazer a Dona Meridiana com a Neta que por lá estavam passeando. Estávamos recordando momentos de memoráveis putarias e um deles foi lembrado com elogios pela Lurdes. O INESQUECÍVEL CASAL DO SUL. – Buzina no portão. Vou olhar e? Quem? Quem?  Na boca da Lurdes e ali no portão! –  O casal do sul!  Amarildo e Ligia acabavam de chegar. Segundo eles, não avisaram para fazer surpresa.  – Entraram e então vi   e os demais também, que havia mais uma pessoa no carro. – Feitas as apresentações, abraços e beijos com boas vindas chega junto o 3º elemento! – Um homem alto, musculoso, negro, simpático sorriso, e avantajado volume bem ali! A bermuda que ele vestia era justa, e o seu cacete aparecia com tamanha imponência sem chances de passar desapercebido. Este é Josemir! Meu amigo a mais de 30 anos, de férias e veio como nosso   convidado. – Oi! – Olá!  E daí? Tudo bem?  acho que os   alôs foram unanimidade. Na minha cabeça, nada oficial! Mas na despudorada da Lurdes, o Negrão era o comedor da Ligia. E não é de ver que a minha esposa/puta estava certa!  Ligia gemia naquele escuro pau arrombador de Buceta e cu. Melhor assim!  Para a noite já temos duas Rolas, e mais uma Buceta. A Lígia, é bem-dotada de XANA. Bucetona mesmo. Bem, tínhamos disponíveis 43 cms de Pintos para quem quisesse. Uma boa média individual sem dúvidas. Por uma questão de ordem, a primeira e levar pau no começo da putaria, foi Ligia. Sentou-se com os olhos fechados no colo do Josemir que pelado havia se acomodado na poltrona. Num olhar corrido, não vi ninguém de roupa. Nem eu!  TÔ PELADÃO POR ORDEM DE DONA LURDES. Ligia mexia o quadril com    tesão explicito. Segura pela cintura, metia total, 100% a Buceta no pau do amante. Amarildo outro muito bem-dotado, socava a piroca na Lena.  Lena não gemia, urrava. –  No sofá, Lurdes tocava uma siririca desumanamente maravilhosa. Não não e não! Nada de Casa da Mãe Joana! – Era sim, a casa das mais deliciosas e tesudas fodas já vistas a olho nu. Amarildo comia aquela buceta com elegância. Suave mexida lateral, retirada de alguns centímetros e devolvidos com um fincão atolador. O pau desaparecia na sedenta XANA da minha cunhada. Vi Ligia virar de frente para o amante.  Movimentos derradeiros e o sobe e desce daquela bucetona, provocou a entrega total da putona que gozou …Ligia puxou a fila. Veio a Lena gritando que era muito delicioso   ser fodida desse jeito.  Passou Ligia indo ao banheiro. Josemir sentado e o pau totalmente duro. Eu estava encaralhado por essa   Rola. Tipo luz de alerta, meu cu piscava por aquele pau. Me vi sentado nele, metendo meu cuzinho da cabeça ao talo. Aiiiii    que tesão de cu   filha da puta!!!! Não sei como, que jeito onde que horas… eu estava decidido a dar meu cu para o Josemir. Numa olhada dessas, subi os olhos e cruzei com os dele. O negrão me olhava com firmeza e pegava no pau. Foi o sinal verde.  Ele também gostava de cu de Macho. Ainda mais de Macho Corno. Me desloquei até a cozinha, nem sei   fazer o que!  Mas fui. Deu no que eu desejava.  Josemir veio. Chegou por traz, encostou a cabeça do pau   no meu rego, ajeitou com a mão e ela roçou meu cu. Levei o tórax para afrente, apoiado na máquina de lavar roupas, abri as pernas e …não foi fácil, mas não foi difícil. O Negritude Master estava meio lubrificado pela porra da Lígia.  A cabeça entrou. Me segurou pela cintura e meteu. Acho que levantei do chão! Aterrizei em seguida. Josemir tirou o pau, me virou e me beijou metendo a língua na minha boca. Chupei todinha. Então me disse:  Curto Macho que da o cu. Quero você!  Vou meter gostoso na sua bunda. Falamos depois. – E voltou para a sala. Por alguns segundos me vi de bruços na cama, bunda empinada   e Josemir enfiando o Negresco cacete até as bolas baterem na minha bunda. Não foi bem isso! Quase! Antes, ele comeu o cu   da minha esposa. Que comida de cu espetacular!!!! Eu nessa? Vou me acabar!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *