Conhecendo a novinha safada do bairro

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE
Telegram 
Entre agora!

Olá pessoal, já sou leitor da casa dos contos a um bom tempo e agora resolvi compartilhar com vocês algumas das minhas transas. Sou moreno, 1,80 de altura, 90 kg, boca carnuda, corpo definido devido aos esportes que prático.

Bom, vamos a história de como conheci a novinha do bairro que eu morava, esse conto é de quando eu tinha 23 anos. Vou chamar ela de Rha (fictício), uma morena novinha de 16 anos, baixinha, cinturinha fina, seios não muitos grandes, bundinha grande e rebitada, não muito bonita, mas também não era feia, era bem gostosinha para idade. Conheci Rha quando estava conversando com uns primos que morava perto da minha casa, já era noitinha e de repente ela passa do outro lado da rua e da oi para meus primos, só que eles chamam ela para vir dar oi com beijinho, ela que quase não gosta veio de imediato. Nisso, eles me apresentam a Rha, comprimento ela com um beijinho e um leve abraço, ficamos ali conversando mais um pouco. Resolvi ir embora, dou tchau para todos, entro no carro e saio.

Certo dia estou voltando para casa, já estava escuro e vejo Rha andando sozinha na rua. Paro o carro abaixo o vidro e ofereço uma carona, ela fala que não pega carona com estranhos e damos risadas, abro a porta e ela entra. Perguntei onde era sua casa, com ar de safadinha responde: ah mas já vamos para casa? Pergunto pra ela até que horas pode ficar, me responde que tem mais uma hora. Com essa resposta vou para uma rua mais tranquila que conhecia. Chegando lá, começamos a conversar sobre várias coisas, até que crio coragem e vou para cima dela dando um beijo, sou correspondido e que beijo gostoso, a danadinha beijava bem. Perguntei, nossa vc deve gosta de beijar hein?! Ela sem cerimônia respondeu: adoro!

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE
thor hammer gel amostra grátis

Continuamos os beijos e o clima foi esquentando, beijo seu pescoço e Rha se arrepia toda, continuo dando beijos em seu pescoço, passando a mão em sua barriguinha, vou subindo até chegar nos seu peitos, abaixo o sutiã e sinto seu mamilo durinho igual uma pedra. Ela gemendo me olha e diz, você é muito safadinho, respondo, você não viu nada! Rha diz: não vejo a hora de ver! Levanto sua camiseta e começo a passar a língua em seu mamilo bem de leve, dando leves lambidas, fazendo ela gemer bem gostoso. Fico chupando e mamando nos peitos dela por um tempo, enquanto isso, pego a mão dela e coloco em cima da minha bermuda, fazendo ela sentir o volume, Rha da uma apertada bem forte. Abro minha bermuda e coloco o pau pra fora, recebendo uma punheta com suas mãos delicadas. Falo em seu ouvido que sua mão é muito gostosa e macia. A safadinha olha e diz: é que você não sentiu a minha boca ainda! Respondi, quero sentir essa boquinha agora então! Rha não pensa duas vezes e cai de boca no meu pau, dando lambidas da base até a cabeça, me fazendo suspirar alto de tesao, seguro seu cabelo com uma das mãos e guio a boquinha dela até meu pau e a outra mão aliso aquela bunda gostosa. Falo para ela: vai safadinha chupa gostoso meu pau, deixa ele todo babado e Rha começa a chupar com gosto, me fazendo gemer alto, xingando ela de safada. Digo que se continuar com a chupada vou gozar, parece que foi música aos ouvidos dela, que começa a chupar com mais força e mais rápido, não aguento e começo a gozar bem gostoso dentro daquela boquinha gulosa, que não deixa uma gota, deixando meu pau todo limpinho. Rha se levanta e pergunta o que achou, respondo que realmente a boquinha dela é tão gostosa e macia quanto a mão. Demos mais uns beijos e infelizmente deu o horário de levar ela. Trocamos contato e deixei ela perto da sua casa. A noite trocamos mais umas mensagens do que tínhamos feito um pouco antes e ficamos de marcar outro dia….continua.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *