la bella donna

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE
Telegram 
Entre agora!

Meu nome é Guto, alguns de vocês já devem ter lido meus relatos. Como disse estou no último ano da faculdade e nas horas vagas costumo fazer uns bicos acompanhado mulheres experientes a procura de aventuras. A experiência escolhida de hoje foi com Antonella, una donna bella e ardente.

Antonella tinha seus 40 anos, executiva casada em viajem de negócios ao Brasil, a conheci em um jantar onde fui levado por uma amiga que trabalha há mais tempo como acompanhante de executivos em trânsito pela cidade. Ela estava em um vestido preto colante de decote generoso, a vi cercada de outros profissionais, com uma taça de champagne na mão.

Fiquei de longe a observando, sabia de seu interesse por homens jovens e bonitos, eu certamente lhe chamaria a atenção já que a maioria dos homens passavam dos 40.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE
thor hammer gel amostra grátis

Antonella era geniosa e gostava de ser o alvo das atenções. Abusava de seu potencial profissional.

_ Cari amici brindiamo ai nostri affari… ora divertiamoci – disse em voz alta levantando sua taça.

Esperei que ela ficasse a sós, aproximei sem que fosse notado. Falava ao telefone certamente com o marido. Ao virar-se deu de cara comigo que lhe sorri mostrando lhe a taça.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE
thor hammer gel amostra grátis

_ la donna più bella di questa cena

Ela sorriu respondendo.

– grazie ragazzo

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE
thor hammer gel amostra grátis

Mantive os olhos fixos em seu decote generoso.

_ belíssimos

Pude notar que ficara vermelha com o elogio, continuou a caminhar olhando para trás de onde eu observava seus contornos.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE
Telegram 
Entre agora!

De longe fazia questão de não perde-la de vista. Finalmente o acompanhante de minha amiga nos apresentou.

_ Antonella questo è Gustavo l’amico che ti ho detto. è al tuo servizio

– anche tu…. Penso che ci divertiremo stasera

– con tutto bene signora

Ela retirou os óculos me olhando de cima em baixo…aproximei-de seu ouvido e disse.

_ come quello che vedi?

_ L’ho adorato – disse rindo e saindo em direção ao bar

Era quase duas da manhã quando minha amiga me chamou

– Antonella deseja voltar para o hotel…o carro já aguarda lá embaixo…

– e ela?

_ ja vai descer…boa noite,

Fiquei encostado no carro, ela desceu acompanhada de minha amiga e seu cliente. Se despediram e ela veio em minha direção, já estava um pouco alegre…já no carro ela retirou os sapatos de salto agulha colocando as coxas sobre minha perna. O hotel ficava há algumas quadras, subimos até a suíte presidencial. Era ampla, uma sala bem decorada com vista para o mar, uma pequena piscina com privacidade…

– finalmente solo – disse rindo com uma champagne à mão. Antonella despiu-se ali mesmo no centro da sala, ela mesma abriu a garrafa e banhou-se.

– andiamo

Tirei a parte de cima do terno, a gravata e a camisa…passei a lambe-la enquanto ela continuava a banhar-se na bebida. O liquido escorria por sua barriga… continuei o caminho até parar em sua buceta no meio um filete de pelos fazia a decoração . Antonella me fez levantar e abriu minha calça…abaixando minha cueca e soltando um gritinho de satisfação

_ Magnifico! Disse jogando champanhe gelada no coitado… – Adoro lo champagne

Sua boca estava gelada iniciou uma bela chupada que me fez decolar…ela gostava de dar as cartas….abocanhou minhas bolas e subiu esfregando o corpo em mim… em uma cadeira reclinável sentou-se com as pernas em cada braço…com a taça jogava pela barriga escorrendo ate a buceta. Ajeitei-a de forma a colocar a champanhe e suga-la…Antonella estremeceu…eu já estava em ponto de bala e não pensei duas vezes penetrando-a naquela posição. Antonella gemia alto…eu socava com vontade enquanto lhe enfiei o dedo no rabo. Antonella forçou a buceta no meu pau.

– non fermarti, voglio di più, vado sulla luna

Os peitos rijos e a buceta molhada denunciavam seu gozo próximo.

_Dio…

Gozei em seguida, ela olhou a quantidade de leite na camisinha…balançou a cabeça negativamente

– latte voglio latte

Antonella me puxou para o quarto…ajeitou travesseiros e se colocou de 4

Esfreguei meu pau em sua bunda macia…o cuzinho era rosado parecia que nunca havia sido tocado

– Sono immacolato

E realmente era… delicadamente introduzi o dedo…ela gemia tensa, fiquei ali brincando de entra e sai até que el acostumasse…eu estava tenso, há muito não pegava um rabo virgem…enfim consegui que a cabeça entrasse…ela contorcia fui vencendo cada centímetro para não assusta-la. faltava pouco para o paraiso…puxei a contra mim, o grito certamente fora ouvido pela madrugada afora…mas ela era determinada, iniciou um rebolado que me surpreendeu terminei jorrando leite antes do que eu previa.

Caímos na cama macia….Antonella se aninhou no meu peito, terminamos cochilando, estávamos exaustos. Acordei com ela sobre mim, os cabelos presos por um palitinho desses de gueixas, usava um hobby branco transparente que a deixou sensual …ela abaixou-se me dando um longo beijo, mordeu meus mamilos me excitando, sem muitos pudores montou em meu pau e iniciou uma cavalgada…o dia já amanhecia pela janela os primeiros raios tocaram seu corpo. Olhando bem, era uma mulher linda no auge de seus 40 anos. Enquanto cavalgava eu podia perceber sua expressão de prazer. Mordia os lábios como uma colegial safada…os movimentos aumentaram ela gemia gostoso sussurrando obscenidades em italiano. Senti seu mel escorrendo pelo meu pau que já estava pronto para enche-la de leite.

_ meraviglioso – disse com o corpo tremulo obre o meu.

A peguei no colo e a levei para a piscina; ficamos ali agarradinhos, ela deitou-se nua na espreguiçadeira liguei para a recepção pedindo um café da manhã com frutas, sucos… fechei as cortinas para a sala para que a camareira não incomodasse nossa privacidade.

Sentei ao seu lado onde ela começou a falar sobre o marido, era um rico empresário 30 anos mais velho. ela viera de uma familia humilde ele havia ficado viúvo e a escolhera para casar. Tinha apenas 17 anos, o marido vivia viajando e ela começou a estudar, entender de negócios, o marido tinha muitas amantes e terminara sofrendo um avc na companhia de uma delas, Antonella então assumiu os negócios e desde então em suas viagens buscava por companhia masculina para tirar o stress.

Antonella recolocou o hobby transparente… em outras mulheres talvez não combinasse…mas nela ficara sensual sem porem ser vulgar; Antonella passou chantilly em minha boca e beijou-me eu fui mais longe a peguei no calo jogando-a no sofá e besuntando a xana com o creme …eu era louco por chantilly e por uma boa buceta. Rimos da brincadeira. Tomamos um café rápido no meio de uma guerra de uvas. Antonella bocejava insistentemente, estávamos cansados a levei para a cama fechei as cortinas, liguei o ar. Retirei seu hobby ajeitei-a na cama. Antonella provocava de bruços….massageei suas costas até que ela dormiu. O que aconteceu depois ficará para uma próxima vez.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *