Minha mãe e meu irmão adotivo – A ousadia de Beto/O Clube

Minha mãe e meu irmão adotivo – A ousadia de Beto/O Clube

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE
Telegram 
Entre agora!

Com o passar das semanas e com um olhar mais atento, pude perceber que Beto se aproximou demais de mamãe. Tudo aquilo parecia normal aos olhos de todos, menos para mim. Começou com beijos no rosto e abraços, que logo evoluíram para abraços mais longos, principalmente de costas. Eu sabia que o alvo dele era a bunda de mamãe. Certa vez o vi abraçando ela por trás. Ela estava com um short jeans e ele com short moletom. Ficou uns 5 segundos encoxando ela de costas. Quando ele a soltou, eu pude ver seu short um pouco estufado. Que fdp! Será que mamãe não percebia nada daquilo? Ou será que ela queria evitar um escândalo e por isso ficava calada? Poderia estar contornando a situação de uma forma discreta?

Um dia chego na cozinha e vejo mamãe na escada tentando pegar algo no armário. Beto estava embaixo segurando a escada, mas sua intenção era mesmo olhar debaixo da peça de mamãe. E naquela visão, tenho certeza que ele via no mínimo as maçãs da bunda dela. Como eu queria estar no lugar daquele bastardo. Quando mamãe descia da escada, ela se desequilibrou e quase caiu no chão. Beto conseguiu ajudá-la, segurando com uma mão sua cintura e a outra ele agarrou sua bunda. Não sei se foi reflexo ou proposital, mas ele encheu a mão com firmeza. Mamãe logo se recompôs sorriu e agradeceu meu irmão. Eu subi para meu quarto e tranquei a porta. Fiquei pensando se tudo aquilo era normal ou coisa da minha cabeça. Fato é que eu ficava revoltado pq sabia que ele se aproveitava da inocência de mamãe e ao mesmo tempo morria de tesão pq aquelas imagens me excitavam.

Passadas algumas semanas, não vi mais nada de anormal. Resolvi desencanar e tocar minha vida. Um dia já a noite, estávamos eu meu irmão e mamãe na sala. Ela disse que iria tomar banho e subiu para seu quarto. Uns cinco minutos depois meu irmão disse que ia para o quarto dele mexer na internet. Era um dia frio e lembrei que meu tênis da escola estava na lavanderia, do lado de fora da casa. Resolvi pegá-lo. Saí pela porta da cozinha nos fundos e quando estava pegando vejo um movimento na sacada do quarto de mamãe (nossa casa é um sobrado em um condomínio fechado). Primeiramente fiquei com medo, mas logo tomei coragem e resolvi averiguar. Me posicionei de tal forma que quem estivesse em cima não me veria. Quando olhei, vi Beto em cima de um banco, olhando pela janela do banheiro do quarto de mamãe. Que vagabundo. Quando penso que não poderia ficar pior, ele abaixa a calça e começa a se masturbar ali mesmo. Eu fiquei indignado. Nunca tinha passado por isso na minha cabeça. Uns 5 minutos depois, ele faz uma careta e despeja tudo na parede. Apesar da idade, beto tinha um pau muito grosso e um saco enorme, bem maior que o meu. Quando vi, a gala dele escorria pela parede. Era muita gala. Escorreu até o chão. Ele retira o banco e sai dali. Eu fiquei indignado com sua atitude. Isso me fez comprovar que ele estava tarado em mamãe. Resolvi ficar mais de olho em suas atitudes.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE
thor hammer gel amostra grátis

Alguns dias depois, estávamos os 4 na sala assistindo filme no sofá. Era uma noite fria. Sentava eu numa ponto, minha mãe, meu pai e meu irmão na outra ponta. Apesar da noite fira, minha mãe usava um pijama bem curto e justo. Meu irmão de short e uma blusa comprida. Eu estava com uma coberta, meu pai e mamãe com outra e meu irmão sem. Ele logo reclamou de frio. Mamãe levantou e foi pegar uma pra ele. Nesse momento eu notei como ela estava gostosa. O tecido fino do pijama deixava ver sua calcinha. Era branca. Mamãe usava muita calcinha pequena. Eu sabia pq via no varal de casa. Cada uma mais fantástica que a outra. Quando mamãe volta pra sala ela cobre meu irmão. Antes de voltar a seu lugar ele diz:

– Deita aqui comigo, mamãe.

Ela consentiu. Sentou ao lado dele e ficaram assistindo o filme. No meio da sessão, vi que ele se mexia demais e mamãe as vezes tb. Notei que Beto estava muito próximo de mamãe, quase de conchinha com ela. Pelo que eu via, parecia que ele estava com a mão na coxa dela. Pouco tempo depois ele se levanta e vai ao banheiro. Vi nitidamente que seu short tava estufado. Ele tava de pau duro. Beto demorou uns 15 minutos até voltar. O que será que ele estava fazendo? Já estava tarde quando o filme acabou. Meu pai disse que ia dormir e eu tb já ia até que Beto disse a mamãe:

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE
thor hammer gel amostra grátis

– Vamos assistir a outro filme comigo, mamãe?

– Bom, eu estou sem sono… Acho que pode ser.

Eu mudei de ideia e decido ficar, mas logo o sono me vence e por volta de meia noite vou dormir. Acordo pra beber uma água na cozinha e percebo que a TV ainda está ligada. Decido ir ver. Quando chego na parede que da pra sala, vejo Beto e mamãe. Um do lado do outro. Beto estava com as mãos em volta da cintura dela e as vezes passava sutilmente a mão nas cochas dela. Pra mim aquilo já era muita ousadia, mas para mamãe poderia ser só carinho. De repente ele fala:

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE
thor hammer gel amostra grátis

– Mamãe, a senhora gostou do silicone?

– Ai filho! Que pergunta. Mas já que perguntou… sim gostei.

– Sabe mamãe, eu tb gostei. Vc ficou mais jovem e mais bonita.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE
Telegram 
Entre agora!

– Obrigada filho.

– De nada. E é verdade que ficam bem duros?

– Sim filho… E firme (Ela deu um sorriso de canto… acho que tava sem graça com o assunto)

– Será que eu posso apertar só pra ver?

– Que isso Beto? Ficou doido é? Claro que não… Sou sua mãe.

Achei muito bem feito. Ela cortou ele bem direitinho.

Só que ela cai na besteira de falar:

– Vamos dormir que já está tarde e vc ta agitado (e aponta pro calção dele, que mostrava um certo volume). Sei que ela falou isso sem maldade, mas Beto entendeu aquilo como um sinal de liberdade. Ele disse:

– Fica mais um pouquinho (e num gesto ousado ele sobe a mão e passa pelo peito direito dela).

Mamãe toma um susto e se levanta só dizendo boa noite

– A senhora não vai me dar nem um abraço de boa noite?

Ela volta. Pude ver nessa hora o short dela todo atolado. Que bunda imensa. Que cintura fina. Ela tava demais com aquele cabelo até a cintura. Quando ele a abraçou, vi que antes dela se afastar, ele passou as duas mãos na bunda dela, uma em cada banda. Só depois disso mamãe rispidamente se afastou, disse boa noite e ainda alertou:

– Se controla garoto! Sei que vc ta ficando homenzinho, mas eu sou sua mamãe, meu amor.

– Eu sei mamãe! Eu te amo muito. É só carinho…

Sei sei… toma um banho frio. Até amanha.

Quando ela saiu da frente dele pude ver que Beto quase furava o short. Ou seja, mamãe via aquilo tb. Ela simplesmente decidiu tratar a situação como uma coisa normal. Deve ter pensado que era só uma fase de Beto, mas eu sabia que aquele fdp tava fissurado nela. Parecia que tava numa espécie de transe e que só tinha olhos pra mamãe. Aquela situação era pior do que eu pensava, pois a intimidade dos dois já era bem maior do que o normal. Depois desse dia, passei a ficar em alerta total.

Em um final de semana ensolarado, decidimos ir ao clube em que papai é sócio pelo trabalho. O lugar é muito bonito e fica na beira do lago de Brasília. Era tb uma rara ocasião de ver mamãe de biquíni. Além disso, ficaria de olho pq sei que Beto não iria dar mole. Quando descemos as coisas do carro e nos estabelecemos perto da piscina, papai encontrou uns amigos e foi jogar bola. Ele praticamente nos deixou lá. Eu lia um HQ (gosto muito) enquanto Beto conversava com mamãe. Não dava pra ouvir, mas eles não paravam de conversar. Até que em um dado momento mamãe tira o short e a blusinha e fica de biquíni. Não era um biquíni pequeno. Era normal, até pq papai não deixava e mamãe, como eu disse, era muito discreta em público. Era um biquíni preto, de lacinhos dos lados. Apesar de não ser fio dental, era uma delicia vê-la de biquíni, pois sua bunda era enorme e tb pq foi a primeira vez que vi mamãe de silicone. Caraca!!! Ela tava que nem uma panicat. Tava louca pra ela me pedir pra passar protetor solar nela. De repente ela me chama:

Gu, faz um favor pra mamãe?

Claro, mãe! (falei todo empolgado)

Busca um picolé pra gente?

Afff… fiquei chateado por não ser o que eu queria, mas para não desagradá-la, acabei indo. Quando cheguei na lanchonete, a fila tava enorme. Fiquei uns 25 minutos. Quando fiz meu pedido, o rapaz do balcão disse que os picolés haviam acabado. Fiquei puto por ter perdido tempo e a oportunidade que eu queria. Chegando onde estávamos, percebo que eles já não estavam lá. Fico apreensivo e logo começo a procurar. Vejo papai jogando bola mas nada dos dois. Quando olho bem longe, depois do estacionamento, vejo mamãe e Beto caminhando. Ele com uma toalha e o protetor e mamãe com uma canga tapando o corpo. Eu os sigo de forma silenciosa. Eles passam pelas churrasqueiras e se dirigem a uma área com árvores altas. Um lugar bem fechado e isolado. Me escondo atrás de uma arvore e passo a observar. Mamãe deita no chão, tira a canga e pede pra Beto passar o protetor. Até aquele momento eu entendia pq sabia que mamãe não queria passar protetor na frente de tanta gente. Ela é muito tímida e discreta. E como ela e Beto eram mais próximos, acabei por compreender. Mesmo assim decidi ficar. Já começo a achar estranho pq Beto tira o calçao e fica só de sunga. Ele passa o produto primeiro na parte da frente. Mamãe com um chapéu e de óculos escuros se mantem inerte. Ele pede pra ela virar. Quando ela fica de bruços, vejo aquela bunda como nunca vi. O biquíni tava um pouco mais atolado pelo tamanho da bunda dela. Ele arregala os olhos, mas não perde tempo. Enche a mão de protetor e começa a passar. Passa em todo o corpo e deixa a bunda por último. Antes de passar naquele pandeiro, ele pega no pinto, que já tava meia bomba. Começou a passar de uma forma bem erótica. Inacreditavelmente, mamãe não fazia nada. Ele fala alguma coisa no ouvido dela. Não deu pra escutar, mas logo entendi. Ele sentou em cima dela e desfez o laço da parte de cima do biquíni e continuou. Era muita intimidade! Estranhamente, eu tava ficando de pau duro. Queria muito ta no lugar daquele bastardo e também essa mistura de ciúme e desejo proibido me deixava doido. Depois de uns 20 minutos mamãe se levanta e recolhe as coisas pra sair. Beto pega o short na mão, mas não o coloca. Antes de ir, Beto fala que vai urinar. Eu pensei que ele iria para de trás de uma árvore, mas ele tirou o pau na frente de mamãe e mijou ali mesmo. Ela arregalou os olhos, ficou vendo sem reação, por uns 5 segundos e virou para o lado. Com ela de costa, deu pra ver ele dando uma risada muito irônica. Aquilo me revoltou. Já tinha passado da conta. Quase que fui lá, quando vejo minha mãe falando com ele:

– Quando vc for fazer suas necessidades, vai pra outro lado, filho.

– Ah, mamãe. Pensei que vc nem ia se importar. Somos filho e mãe. Aquele dia no hospital eu te vi praticamente nua. Achei que vc não se importaria

– Aquele dia foi outra ocasião filho. Seu pai ficaria muito bravo se soubesse disso.

– OK, mamãe. Vai ser nosso segredo.

Ele balança o pau e põe na sunga. Mesmo dentro da sunga fazia um grande volume. Mamãe fala:

– Poe seu short, pq todo mundo vai ver vc desse jeito.

E deu uma risadinha. Ele com toda malandragem começa a andar ao lado dela já voltando e diz com o braço já na cintura dela:

– Ah mamãe… Tb neh… Esse seu bundao deixa qualquer um maluco (em tom de brincadeira, ele passa a mão na bunda dela).

– Que isso Adalberto (ela só fala o nome dele todo quando fica irada). Já falei pra vc parar com esses papos. Se alguém escuta ou vê vc fazendo isso, como eu vou explicar. Me respeita, sou sua mãe.

– Ah mãe desculpa era só um elogio. Vc é linda só isso.

Só depois disso ele tira a mão da bunda dela, com um tapa que ela deu. Percebi que a marca da mão dele ficou na bunda dela. Como eu disse, ela é muito branca e qualquer coisa deixa marca. Eles voltaram e eu, furtivamente, também. Quando todos nós nos encontramos no lugar onde as coisas estavam, papai já nos esperava. Ele pergunta:

– Onde vocês estavam?

– Estávamos andando, amor.

– E pq sua bunda ta vermelha? (Era a marca onde estava a mão de Beto)

– Não sei amor. Acho que sentei na grama e ficou assim.

Beto confirma a versão de mamãe e papai logo desamarra a cara. Eu fiquei abismado e confuso.

Mamãe que era uma mulher recatada, da igreja e muito fiel já extrapolava qualquer limite de uma relação entre mãe e filho. Eu fiquei pensando que aquele fdp tinha visto mamãe praticamente nua no hospital, enquanto eu que deveria ter tido essa chance. O problema é que eu era muito tímido e não tinha a cara de pau que Beto tinha. Como eu queria ter a coragem dele. Talvez ela me desse a mesma abertura, mas só de pensar eu já ficava nervoso. Minha zona de conforto era observá-la e isso me dava um tesão danado. Só que essa nova situação me deixava ainda mais louco por ela.

Já em casa, todos nós estávamos cansados pelo dia no clube. Papai bebeu todas com seus amigos. Por isso, ele foi o primeiro a dormir, por volta de nove da noite. Nós três, após cada um tomar o seu banho, ficamos assistindo TV na sala. Eu estava muito cansado, mas não queria deixar os dois sozinhos. Entretanto o cansaço me alcançou. Fui dormir umas dez e meia. Eu sempre tenho o costume de levantar no meio da noite para beber água. Nessa noite não foi diferente. Era uma e meia da manha, quando desço as escadas. Novamente a luz da televisão iluminava de forma rudimentar a sala. Eu fui na ponta do pé e fiquei encostado na parede que dava acesso a sala. Fui me inteirando do diálogo que eles tratavam naquele momento. Meu irmão insistia em alguma coisa, que logo entendi o que era.

– Deixa eu ver, mamãe! É rapidinho…

– Não Beto! Não é correto. Isso é pecado! Vc ultimamente ta muito danado.

– É que eu queria ver se ficou bonito. Já vi alguns pela internet… Aposto que o seu é o mais bonito!

Comecei a perceber que Beto era bom com argumentos. E saquei que ele queria ver os peitos de mamãe. Ele ficou insistindo uns 15 minutos, até que ela disse:

– Olha Beto, acho bom vc não contar isso nunca pra ninguém. O que eu já to fazendo é pecado, mas vc nunca desiste não é mesmo?!

Nisso ela tira sua blusa que usava. Era so um pijaminha sem sutiã. Inacreditavelmente ela mostrou-lhe os seios. Ficou com a blusa suspensa uns 15 segundos. Ela ficava de costa pra mim e eu não pude ver. No gesto de ousadia Beto tenta tocar o seio de mamãe. Ela logo abaixa a blusa e o repreende.

– Já chega Beto. Passou da conta. Vai dormir pq eu tb vou.

– Mas mãe, eu to com muita dor. Acho que vou precisar ir para o hospital… (Fazia cara de choro)

– Doendo onde Beto? O que vc ta sentindo filho?

– É lá embaixo, mamãe.

– Vai dormir que passa.

– Não mamãe! Ta doendo muito. Vou te mostrar.

Ele abaixou a calça de algodão, juntamente com a cueca de uma vez e o pau dele saltou de uma vez pra fora. Era bem maior que o meu e bastante grosso. E tinha uma cabeça enorme e vermelha. Mamãe pôs a mão na boca de susto.

– Guarda isso menino. Ficou louco é?

– Mas mãe! Se isso não passar eu não vou dormir nunca. Eu fiquei assim por sua causa.

– Para de falar bobagem. E fala baixo que seu pai e seu irmão estão dormindo. Então vai ao banheiro e faz o que vc precisa fazer.

– Eu não consigo nem sentar mãe. Só tem um jeito. Faz pra mim

Minhas pernas tremeram quando eu ouvi aquilo. Não acredito que ele foi tão ousado. Ele queria que mamãe o masturbasse. Eu achei que ela ia dar uma surra nele ali mesmo.

– Vc ta doente. Eu vou te internar amanha.

– Se vc não fizer, eu vou chamar o papai para ir ao hospital, mamãe. Como eu vou explicar isso pra ele e pro médico?

– Não fala isso nem de brincadeira menino. Meu filho eu não posso fazer isso. A igreja condena e isso seria muito imoral.

– Por favor, mamãe. Ou é isso ou ir para o hospital. Me ajuda, por favor…

Ela ficou uns 40 segundos olhando aquele pinto duro na cara dela…

– Se vc um dia sonhar em falar isso pra alguém, eu te mato. Senta ali no sofá.

Minha boca ficou seca e eu estava suando frio… Não acredito nisso. Ela ia mesmo fazer aquilo.

– OK, mamãe.

Beto arriou o calção até as canelas e sentou. Mamãe logo senta ao lado dele, pensa um pouco, respira fundo e agarra com a mão direita aquele mastro. Segurando o pau de Beto, ela começa a punhetá-lo devagar. Ele delira com a situação. Começa a gemer baixinho e eu fico pasmo quando ele começa a falar.

– Vai mamãe… Continua. Ai que delícia. Eu sabia que vc ia me ajudar mamãe. Deixa eu ver seus peitos vai.

– Não Beto. Anda logo! Isso já é pedir demais.

Eu notei que ela acelerou a punheta. A mão dela quase não fechava no pau enorme de Beto.

– Ai que tesão. Não sabia que vc era tão boa nisso… Vai mamãe, bate punheta pro seu filho pauzudo vai… Vou gozar na sua boca sua, safada.

Mamãe para na hora e diz:

– Eu não vou mais fazer isso. Vc que termine. Nunca pensei que vc falasse tanta asneira.

– Por favor, mamãe. Eu tava quase lá.

Mamãe sai de perto e calça as sandálias. Achei que ela realmente ia sair até que Beto diz:

– Desculpa, mamãe! Eu vou me comportar! Prometo. Só termina. Aí eu vou dormir e vc tb.

Ela voltou e sentou. Pegou de novo no pau de Beto e continuou. Apesar de mamãe estar fazendo aquilo, ela fingia estar em outro lugar. Punhetava Beto e olhava em direção a televisão, como se estivesse interessada em assistir o que passava. Beto tremia de tanto tesão. Vi que seu olhar era fixo pros peitos de mamãe. Ele encostou a cabeça no ombro de mamãe. As vezes alternava em alguns gemidos baixos e cerrando os olhos. De forma extintiva, Beto passou o braço em volta dos ombros de mamãe e ficou alisando o braço direito dela. Mamãe disse:

– Beto, anda logo! Alguém pode descer.

– Ai, mãe. To quase. Vou gozar já já. Deixa eu só aproveitar mais um pouco. Tá muito gostoso.

– Vc tem um minuto. Se não terminar, eu vou levantar e sair.

– Shhhhh… Ta vindo, mãe. Eu vou gozar. Vou gozar pra vc, gostosa! Pqp.

Nessa hora, mamãe desvia o olhar para o pau de Beto. Parecia que ela queria ver Beto gozar. Eu vi que ela acelerou os movimentos ao mesmo tempo em que Beto, num gesto ousado, apertou o peito direito dela. Fiquei surpreso em ver que mamãe deixou. Acho que ela não queria atrapalhar aquele momento. O que me impressionou de verdade foi ver o quanto Beto podia gozar. Foram uns cinco jatos longos de porra. Uma gala grossa. Mamãe ainda deu os últimos puxões pra tirar tudo que Beto tinha. O pau dele latejava na mão dela. Mamãe estava com os olhos arregalados. Acho que ela não imaginava que Beto poderia gozar tanto. Ele acabou esporrando não só não mão dela. Havia esperma no braço em seu pijama. Mamãe pegou a blusa de Beto e se limpou. Ainda espantada, ela só pediu pra Beto se vestir e ir dormir. Não falava muita coisa. Ele disse OK e ainda agradeceu. Mamãe respondeu “de nada”. Vi que eles iam sair e voltei rápido para meu quarto. Esqueci até da água.

Eu nunca imaginei que a minha mãe chegaria a tal ponto. Aquele FDP tinha convencido minha mãe a fazer coisas absurdas. Fato é que ele conseguiu o que eu sempre quis. Eu bati a melhor punheta da vida naquela noite. Na verdade eu me masturbei umas 6 vezes e não conseguia dormir. Era inacreditável. Como minha família que era perfeita, minha mãe que era perfeita aos meus olhos poderia estar fazendo aquilo? Eu simplesmente não acreditava. E o pior ainda estava por vir.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *