Minha vó foi minha esposa por um tempo

Minha vó foi minha esposa por um tempo

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE
Telegram 
Entre agora!

Não vou me identificar mais espero que gostem do conto .dona Célia é uma senhora de 62 anos esposa do Sr José de 69 , ela é uma mulher muito linda apesar da idade com certeza deixou muitos homens com desejos quando mais jovem , ela é branca de cabelos loiros naturais origem alemã bunda grande pernas grossas seios médios de auréolas rosadas bem gordinha uns 90 e poucos kgs ,ela é mãe de 3 mulheres e um homem todos casados e morando em SC cidade natal da família , o caso aconteceu assim .seu Jorge tem uma chácara em uma pequena cidade do interior do Paraná a cidade tem apenas 30000 mil habitantes ,e também tem 25 alqueires de terra em outra cidade de apenas 15000 mil habitantes, a 100 km da chácara onde eles foram morar ,
pois dona Célia tem uma irmã que mora perto dali , a chácara tem apenas um alqueire e possui uma vaca de leite e uns porcos e galinhas pra consumo deles , bem quando vieram de SC seu neto mais velho veio junto a convite dos avós maternos , seu nome é Valmir de 20 anos e é mecânico de máquinas agrícolas , este seu neto é um negro pois sua mãe se envolveu com um homem negro e teve ele aos 16 anos de idade apenas , bem isso é outra história , Valmir foi um jovem muito desprezado por seu padrasto que assumiu sua mãe ainda grávida pois seu pai era um homem casado e foi morar em outra cidade logo após o acontecido ,não por isso mas por causa de seu trabalho . Valmir então aos 15 anos foi morar com seus avós pois não se entendia com o padrasto que era um babaca , bem Valmir começou a trabalhar muito jovem aos 13 anos e isso fez se tornar um bom mecânico ainda jovem , eles foram morar no Paraná e chegando lá logo arrumou trabalho em uma grande oficina mecânica , ele já morava a 5 anos com seus avós e então era como filho deles , Valmir é um homem grande 1:90 pesando 85 kg um negão muito bonito e charmoso ,as mulheres ficam loucas por ele ,desde muito Novo já se encontrava agarrado com algumas meninas da sua rua , dona Célia e suas filhas quando se reúnem falam muitas besteiras pois são catarinense daquelas que não tem vergonha alguma quando estão com outras mulheres conversando , e Valmir por muitas vezes ouvia elas falando sobre seus maridos elas não se importavam que Valmir estivesse na sala assistindo televisão ,achavam que ele por ser ainda menino não iria um dia saber do que se tratava suas conversas . fica a dica nunca transe ou fale algumas besteiras perto dos seus filhos pois eles gravam tudo e quando saberem mais de sexo iram se lembrar de tudo , bem depois de uns 6 meses morando no Paraná seu José e seu cunhado resolveram ir trabalhar na propriedade a 100 km de distância da onde moravam , eles iam lá gerenciar o plantio e colheita só viriam para casa de 15 em 15 dias só que na primeira vez iam ficar um mês lá , suas mulheres não iriam junto com eles , bem na primeira semana que Valmir e sua vó Célia estavam só na casa eles estavam curtindo o momento pois seu José é daqueles velhos chatos que reclama de tudo e todos , bem dona Célia é uma senhora muito dócil submissa ao extremo ,seu esposo usa e abusa da coitada , ela se casou com apenas 16 anos e aos 17 já tinha sua primeira filha , naquela época na década de 70 as mulheres se casavam muito jovens , dona Célia só conheceu seu marido como homem em sua noite de núpcias .e nunca o traiu com outro , seu neto é bastante mulherengo vive trocando de namorada ,só que ultimamente anda sem uma namorada ,bem uma noite os dois conversando sobre a vida derrepente o assunto pendeu pro sexo , dona Célia contou que só teve seu avô como homem e que naquela época as coisas eram diferentes não existia tanta safadeza disse ela , Valmir ficou muito feliz em saber um pouco da vida de sua vó e suas filhas , ela disse que seu marido é muito chato até na hora h , que ele tem umas manias dele kkkk , Valmir pergunta que manias, e ela disse ,não posso ti contar é segredo , e deu risada,    ele insiste e ela conta que ele não se troca perto dela , que só tira a roupa depois que apaga a luz   e em 46 anos de casamento ela nunca viu seu pinto,. palavras dela ao se referir do pênis do marido ,   Valmir riu muito disso e como é safadão perguntou na bucha pra sua vó , então a senhora nunca viu o pau do vô em vó kkkkk ,ela ficou vermelha e disse olha os modos de você falar com sua vó , ele disse desculpa vó e que isso é um pouco estranho não acha ? Sei lá não sei , a senhora não tem curiosidade nisso ? Já tive muita mas o tempo passa e agora já velha e ele velho não importa mais kkkk , Valmir ficou exitado e ao mesmo tempo triste por sua vó que já com 62 anos e nunca viu uma rola na vida , muitas coisas passaram por sua cabeça na hora , a conversa teve fim naquela noite mas iria continuar com certeza , os dias passaram e já há 2 semanas longe do marido ela reclamou a falta dele pois nunca ficaram longe um do outro , Valmir chegou do trabalho e na hora de tomar banho perguntou pra sua vó se ela poderia lavar suas costas pois ele trabalhou embaixo de um trator na lavoura e se sujou muito , ela não viu nada de mais e disse que sim era pra ele ir tomando banho que ela ia lá depois esfregar suas costas , Valmir se lavou onde podia e quando estava enchaguando os cabelos sua vó entrou e o pegou de lado só se cueca Boxer e ela viu um enorme volume em sua cueca , ela pediu que ficasse de costas e ele assim o fez , depois de esfregar suas costas ela saiu e foi fazer o jantar , depois os dois jantaram e foram pra sala assistir tv , dona Célia passou a olhar mais na direção do pênis de seu neto , coisa que nunca tinha feito antes com nenhum homem , Valmir não sabia mais alguma coisa havia mexido com sua vó , na terceira semana era umas 22 00 hs dona Célia perguntou se ele podia fazer uma coisa pra ela , ele disse claro vó , oque quer que eu faça ? Ela meio envergonhada e já vermelha pois é muito branca então fica vermelha quando está com vergonha , será que você pode me mostrar teu pinto pra vó ver , só vou te pedir,    nunca fale isso com ninguém por favor , Valmir como é um mulherengo não se fez de rogado e se levantou do sofá e abaixou o calção com a cueca junto e seu pauzao de 25 cm e muito grosso apareceu , dona Célia ficou chocada ao ver o tamanho e grossura daquele pênis com suas veias aparecendo , ele tava meia bomba mais foi endurecendo ao ficar exitado com sua vó olhando para seu pênis , ela disse , minha nossa senhora como é grande e grosso isso ,não é possível dá uns dois do Zé , Valmir disse se a senhora nunca viu como sabe que da dois ? Nunca vi mais já peguei e tu sabe já senti dentro de mim e nem se compara com isso , Valmir já com luxúria por sua vó pergunta se ela quer pegar nele , ela disse não não não posso e disse melhor você guardar isso , Valmir meio desapontado guarda seu pênis ainda duro e vai ao banheiro ,com certeza se masturbar , pra aliviar o tesão , no final da terceira semana era sexta feira e os dois assistindo televisão quando sua vó diz , posso ver ele denovo ? Valmir ficou exitado e disse pode se quiser , e mesmo sentado ao lado de sua vó ele abaixou o calção e cueca e seu pênis salta para cima , dona Célia vê e quase nem pisca , derrepente ela sem avisar pega nele e começou a acariciar com muito carinho , Valmir está com um enorme prazer em ser tocado por sua vó , ela massageia seu saco apalpando as bolas e desliza suavemente a mão por toda a extensão do pênis grande e grosso do neto , Valmir abraçou sua vó enquanto era acariciado ,e com seu braço por cima dos ombros dela ele tocou um dos seus seios , ela não fez nada e continuou , ele tirou sua mão do seio dela e levou pras suas pernas ,ela estava com um vestido leve de usar a noite em casa , ele coloca a mão nos joelhos dela pra não assustar e depois de um tempo começa a passar a mão no interior de suas coxas e ela não faz nada então ele sobe mais e ela fechou as pernas e largou seu pênis duro como pedra e disse vou dormir já está tarde , Valmir vai ao banheiro se masturbar e logo vai dormir também . No sábado nada acontece ,no domingo a noite ao estarem assistindo televisão ela começou a passar a mão nos cabelos de seu neto fazendo um gostoso cafuné e ela disse deita com a cabeça no colo da vó deixa eu fazer um cafuné em você , ele obedeceu e ela começou a acariciar seus cabelos , ele com sua cabeça no colo da vó sendo acariciado por suas mãos quentes , ele fechou os olhos e depois de um tempo uma das mãos dela vai até seu pênis por cima do calção e fica acariciando bem de leve , seu pênis cresce ao ser tocado , sua vó continua, uma mão fazendo cafuné e a outra acariciando seu pênis , em menos de 10 minutos ele sente a mão dela entrando em seu calção e também sua cueca agora a mão de sua vó está diretamente em seu pênis , ele está deitado e com muito tesão pois a dias não transa com uma mulher , então quando sua vó para e diz que vai se deitar ele fala, vó posso ver sua buceta ? O que não nem pensar sou tua vó e uma mulher casada , eu te deixei ver e tocar meu pau agora não podes me deixar ver tua buceta ! Não ,não pode , você já viu bastante xereca por aí ,não precisa ver da tua vó de 62 anos , eu já vi e provei umas xerecas sim ,mais estamos só nós dois aqui e eu quero ver essa buceta agora , não ,já chega ou para com isso ou conto pro teu vô , contar o que , que viu meu cacete e pegou nele e acariciou até deixá-lo duro ! Nisso Valmir agarrou sua vó pelos braços e disse , vamos agora pro quarto da senhora , quero ver como é essa buceta , Célia começou a chorar e pedir para ele não fazer isso , Valmir tomado pela luxúria não dá ouvidos e segurando forte ela pelo braço a leva para o quarto de casal dos seus avós e a jogou na cama com força , dona Célia cai na cama de costas e já chorando pede novamente que ele pare , que ela é sua vó que isso e crime é pecado , Valmir disse cala boca e abre as pernas vamos ver o que se esconde embaixo desse vestido , ela disse não ,saí daqui ou eu vou gritar , Valmir disse grita que eu de dou uma surra de cinto , ele levantou o vestido e ela fechou as pernas ele a pegou pelo pescoço e sufocando um pouco só para assustá-la , disse abre as pernas logo ou apanha , ela foi obrigada a abrir as pernas e nisso ele levantou o vestido e com as pernas dela abertas ele vê sua calcinha branca e um volume grande ,com certeza era uma buceta bem inchada , ele contempla uns segundos aquela visão de sua vó na cama de pernas abertas mostrando sua calcinha branca , ele afastou um pouco sua calcinha e uma linda buceta apareceu de lábios vaginais rosadinhos e bem fechadinha , ele disse nossa que bucetão gostoso e lindo em vó , ela falou mais uma vez para ele parar ,coisa que ele não fez , e com as duas mãos arrancou sua calcinha e agora a buceta de sua vó estava ali em sua frente , dona Célia tá de costas na cama com as pernas pra fora da cama ele então passou sua mão em toda a extensão daquela fenda e acariciando os lábios vaginais dela dizia , um que bucetão quente , e depois de enfiar um dedo dentro de sua vó , ele a colocou deitada na cama e tirando suas roupas ,se deitou em cima de sua vó , ela ainda pediu ,não Valmir não faz isso sou tua vó , ele rindo disse , a semana toda me deixaste louco e agora tá regulando essa buceta que quase não vê pica , vai levar rola de seu neto até não querer mais ,vou meter meu cacete aí e vai ser minha mulherzinha de hoje em diante , e nisso dona Célia de pernas abertas sente o pênis grande e grosso de seu neto procurando seu canal e ao encontrar ele a penetra de vagar fazendo seu pênis enorme ir entrando naquela buceta já idosa mais ainda assim apertadinha , dona Célia chorando baixinho vai sentindo sua vagina se alargar pra receber um pênis totalmente diferente de que era acostumada , Valmir empurra todos seus 25 cm em sua vó que o recebe aos prantos , ele para fazendo com que ela se acostume com a grossura e comprimento de seu pênis , depois ele começou a se movimentar fazendo seu pênis entrar e sair daquele local quente e úmido , as estocadas eram bem compassadas ele estava com muito tesão e não queria gozar rápido , era um prazer nunca sentido antes,    Valmir estava dentro de sua vó e ela estava sentindo pela primeira vez outro pênis que não fosse de seu esposo , dentro de sua vagina de pelos loiros bem ralos , depois de uns minutos mexendo devagar , Valmir aumentou as estocadas e dona Célia gozou sendo abusada pelo neto , e não demorou muito para ter sua vagina cheia de esperma grosso e grudento de seu neto ,ela se sentiu uma virgem ao ser penetrada por aquele pênis enorme , ele foi aonde seu marido nunca alcançou ela sentia o pênis do rapaz cutucando seu útero , e na hora que ele estava pra gozar ela sentiu seu pênis pulsando dentro e soltando jatos de esperma lá no fundo de seu canal vaginal , após gozar dentro ele ainda permanece um tempo e sai de cima , ao sair ele dá uma olhada no meio de suas coxas e vê seu esperma escorrendo pelas pernas grossas de sua vó , dona Célia também vê o pênis enorme do seu neto de cor preta coberto de esperma , ele vai ao banheiro e ela ficou ali quietinha com sua vagina escorrendo esperma e pensando no acontecido , de como é grande e grosso o pênis do neto sua vagina está toda aberta e suja de porra , depois de se limpar ele voltou para o quarto de sua vó ,ela vai ao banheiro mijar e se limpar ao voltar para seu quarto Valmir ainda está lá e ela disse , Valmir volta para teu quarto e vamos esquecer o que aconteceu hoje aqui , ele disse esquecer o que , isso não aconteceu tá bom , é um segredo nosso , e mais de agora em diante és minha mulher ,e mulheres têm que satisfazer seus machos , e nisso ele a deixa totalmente nua e a joga na cama , agora sim ele tem a visão da sua vó peladinha na cama e ele então sobe na cama e começou a chupar suas tetas enquanto com a mão alisava sua buceta ainda úmida e vazando seu esperma depositado lá no fundo , depois de mamar bastante seus peitos ele vai até lá embaixo e começou a chupar sua vó , dona Célia não queria deixar ele perceber , mais estava sentindo um enorme prazer que nunca sentiu na vida ,nunca seu marido fez isso com ela , Valmir chupa bastante a bucetona inchada de pentelhos loiros se sua vó e então ele a colocou de quatro na cama e se posiciona atrás dela e a penetra novamente fazendo sua vagina engolir todo seus 25 cm de pica , dona Célia não consegue esconder o desejo que está sentindo e começa a gemer levando rola do rapaz , ela só conhecia a posição papai e mamãe ou ela por cima , agora ali de quatro com sua bundona branca levantada pra receber seu novo macho a comendo igual uma égua pelo bagual ,ela gozou com esses pensamentos em sua cabeça , como pode uma mulher de 62 anos fiel ao marido por 46 anos ,e agora ali na mesma cama sendo comida por seu neto pela segunda vez em uma única noite , depois de judiar bastante de sua vó , Valmir aos gemidos de prazer como animal, anuncia um segundo gozo , e dona Célia já esperando ter sua vagina alagada com a porra do seu neto querido , se rende ao prazer e sem forças por ter gozado mais duas vezes na pica do neto ela põe sua cabeça no colchão e de bunda empinada recebe o esperma grosso do neto novamente lá no fundo , ela sente seu pênis pulsando e jogando leite lá dentro , agora sim satisfeitos os dois se limpam e dormem juntos na mesma cama .

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *