Nós, na praia de nudismo

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE
Telegram 
Entre agora!

Minha mulher e eu, na faixa etária de 45 e 50 anos, respectivamente, resolvemos dar mais emoção às nossas vidas, curtir mais, viajar, etc. Temos situação estabilizada, 15 anos de casados, mas não temos filhos!

Propuz a ela irmos a uma praia de nudismo e assim fizemos. Não direi o local, até porquê ela não sabe que estou escrevendo este conto. Chegamos na cidade, uma capital do nordeste, já querendo saber detalhes da praia de nudismo. Era um sábado e planejamos até quarta feira. Chegamos na praia, muito cheia, gente pra todo gosto, incrível, todos sem roupa, na maior naturalidade e fizemos o mesmo e fomos ficar debaixo de uma barraca, já previamente instalada. Eu já fui tirando a sunga e minha mulher, devagar fez o mesmo e se deitou. Olhares curiosos em direção a ela pelos homens me deram um tipo de prazer diferente, minha mulher é perfeita nos seus 45 anos, suas curvas chamam a atenção de quem olha e eu pedi para ela não se importar com isso e ela deu de ombro falando que olhar não tira pedaço e eu gostei disso. Até que noto à distância o garoto do sorvete e eu o chamo e quando ele chega minha mulher se cobre com a toalha, já que ele estava de roupa e eu só escuto ele falar: não se preocupe, dona, já estou acostumado, só não fico pelado porque não pode! Comprei o picolé e ao pagar quis saber dele se a praia ficava assim sempre cheia e ouvi dele que era só nos fins de semana, na segunda feira fica quase deserta, mas eu venho vender meus picolés. Eu agradeci e ele se foi! Ficamos lá um tempo, entramos no mar, nos excitamos, normal, e voltamos ao hotel. Um banho e fomos descansar e à noite saímos pela cidade. Na volta fizemos amor gostoso e notei uma excitação em minha mulher, com palavras diferentes, falando que sentiu prazer sendo cobiçada pelos olhares dos homens e eu entrei naquele devaneio dizendo que ela devia ter notado os olhos do garoto sorveteiro pra ela, antes dela se cobrir com a toalha e ela disse que se tiver menos gente vai ficar nuazinha pra ele e fomos falando até gozarmos loucamente!

No dia seguinte, domingo, resolvemos não ir à praia. Já na segunda, acordamos, um bom café e fomos em direção à praia de nudismo, eu já pensando no que o sorveteiro me falou, que neste dia era quase deserta e confirmei isso mesmo e ficamos nós dois praticamente sós, apenas umas outras pessoas distantes. Até que eu avisto o garoto e o chamo, ele devia ter lá os seus 18 anos e uma aparência nordestina, mulato e as afeições físicas bonitas. E falei pra minha mulher que ele estava vindo e ela disse agora não me cobrirei e continuou de bruços, os olhos dele ao chegar foram diretos pra bunda dela e eu, instintivamente, perguntei: gostou? Ele levou a mão ao pau e deu uma piscada no olho! Peguei o picolé e disse pra ele voltar mais tarde e ele assim o fez, só que desta vez veio sem os sorvetes e sem roupa. Minha mulher quando viu percebi ela ter gostado e ficamos os três conversando embaixo da barraca e ele disse que podia ficar pelado, desde que não vendesse picolé e que já tinha feito isso com um outro casal mês passado. Minha mulher ouviu isso e mais que depressa pediu que ele lhe passasse o bronzeador e eu o incentivei. Fiquei observando aquelas mão negras deslizando no corpo dela, massageava as costas, as pernas e parte da bunda e o clima esquentou, quando vi o pau dele ficar duro e ele querendo se esfregar nela e eu o incentivei. De início ela se assustou, quando percebeu o pau encostando na sua bunda, mas resolveu entrar no clima, olhou pra mim, se virou e ficamos os três de frente um para o outro. Minha mulher olha para os lados, não ninguém por perto, e fala pra mim: eu sei que você quer isso e abaixa a cabeça e enfia o pau dele na boca e começa chupar, aquele menino vai à loucura e eu também só de olhar aquela cena. Depois de chupar bastante, minha mulher se deita de bruços, vira o rosto e fala pra ele: me fode! E ele deita em cima dela, ajeita o pau e a penetra e rápido ele goza e ela agora vem até mim, vira o rabo e eu penetro, enquanto ela faz subir novamente o pau do garoto negro na boca, aquele momento picante, minha mulher goza junto comigo, enquanto tira a boca do pau dele. Ficamos ali esticados e resolvemos ir embora, sem antes pedir ao garoto que fosse ao hotel no final da tarde, onde tomamos drinks e fomos depois pro quarto, onde fudemos até o final da noite, quando ele se foi! Ficamos lá mais um dia, mas não retornamos à praia. Na quarta feira viemos embora, com a doce lembrança daquela aventura!

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE
Telegram 
Entre agora!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *