OS DESÍGNIOS DE UMA CASADA DECIDIDA

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE
Telegram 
Entre agora!

Zona de Perigo! Tensão e Cautela! Desejo e Medo! Mistura tudo, o sentimento fica embaçado, a dúvida assume importante papel momentaneamente. O consciente dela produz rapidamente um veneno contra-atacando o receio manifestado, e confunde mais um pouco a decisão de qual será o próximo passo; adiante, ou   de recuou. O tesão ainda se mantem ativa, latente, percorrendo todo o seu corpo. Os   olhos não se desviam do visual que se apresenta. Manter esse foco é necessário nem que seja por um instante. Por mais breve    que seja, esse momento precisa ser alimentado com a esperança associada a uma falsa certeza de que vai dar certo. Eu vou! Mas…- Cara! Não termine! Espere que eu vou! – É a voz da consciência desejosa. – Um giro de 360 graus, e está conferido de que não há ninguém por perto e nem se aproximando. –  Não dá mais para esperar!  Fui!  Estava tomada a primeira decisão! Ir.  A segunda foi se postar submissa pela aparente carência, ou por um safado desejo putânico que lhe devora as entranhas. A reputação? – Isso não! Esse conceito perdeu espaço e credibilidade no íntimo dela. Estava valendo agora, o que ainda chamam de traição. Para as casadas do meio, não passa de uma traição anunciada e permitida. A adrenalina sexual invade todo o ser dessa mulher que já se encontra ajoelhada, segurando e imprimindo um movimento bem característico. Ela tocava uma punheta no grande e grosso pau do ainda desconhecido. Todo o tempo dela, e sua atenção, se limitavam aos alcances dos olhos que com pouca luminosidade não lhe davam imagem clara do instrumento sexual   tão almejado, desejado e decisivo para a satisfação dos seus desejos. Ela chupava como um Mastro que rege uma orquestra:  Movimentos certos com detalhes precisos elevando o clima para o máximo dos máximos. Para aquele bem-dotado da noite, que já havia iniciadas várias punhetas solos, chegava o gozo proporcionando um derrame de semem incalculável, apenas ela viu que encheu, transbordou boca a fora. A gozada dele foi desgraçadamente magnifica!  A satisfação dela, foi firmar a certeza de que tem tudo para ser   uma ótima   ESPOSA/PUTA. O pinto por alguns segundos se manteve ereto. Logo bambeou e se recolheu, agora, na sua medíocre insignificância. Ela vê o desconhecido vestir a roupa e se retirar. De entre as pedras as margens do ATLÃNTICO, a novata mulher casada que assume fazer sexo ou foder com outros homens também deixa o local. Segue rumo a casa onde está como hospede. Pensa bastante. Não se culpa de nada. Apenas lamenta que sua Buceta e seu Cuzinho não foram visitados pelo caralho avantajado que por ela foi chupado. –  Preciso e quero foder!  Não vou dormir sem levar um belo cacete na bunda e na Buceta! -Assim falava seu pensamento quase em voz alta. Ao sair da areia e atravessar a calçada da orla, vê e encara um homem dos seus 55 ou 60 anos. Simpático, cabelos brancos crescidos, sorriso bonito e um olhar cativante. Como que descontraidamente vai em direção ao Macho Master. Olhando mais para o possível volume, dá um OI e continua a andar.  O solitário senhor se movimenta a alcança e se oferece para acompanha-la já que passam das 23 horas.  Sua Buceta agradece, seu cuzinho se alegra e sua boca diz:  Não se preocupe! Vou sozinha!  –  Imagina moça! Faço questão! Aconteceu uma conversa boa, mas ela tinha que descambar para   o sexo   e já! Pois a casa não estava longe de onde se encontravam. –  Sou Guilherme muito prazer! –  Sou Lena, prazer! –  Toca o seu celular, era Lurdes preocupada. – Estou chegando mana. Escuta! Estou com um amigo, posso convida-lo a entrar?  – É pauzudo?  pergunta minha esposa – Muito!  respondeu a irmã mais nova sem ter certeza disso. Essa preliminar foi bem-sucedida.  O resultado foi muito bom! Lurdes e Eu   recebemos a Lena com o convidado. Primeira impressão foi boa. A conversa inicial foi boa. A sequência da conversa foi melhor ainda. A conclusão   que chegaram as duas e o cabeça branca, foi unanima. Eles estavam afinados para um grande concerto sexual a ser executado dentro de alguns minutos. O Macho se desculpa e atende o telefone.  Era sua esposa. Oi querida! Estou com amigos e esposas. Tá tudo bem não se preocupe! – E você? O Jânio está aí? Que bom!  Até depois, beijos. Soubemos mais tarde que Jânio era o Macho da vez e iria foder com a mulher dele. Lena foi para dentro por alguns minutos, retornando com um leve vestidinho sem nada por baixo. Lurdes com uma saia curta, também sem calcinha, dava um jeito de mostrar ao Macho, sua bunda, sua Buceta e seu tesão. Vi várias vezes o cara segurar o pau, alisar em toda a extensão. Da cabeça ao talo, havia um bom trecho de pinto duro. Lena senta no sofá e convida o Guilherme.  – Rapidamente Lurdes se antecipa e convida Lena a lhe ajudar a tirar a calça com a cueca e deixar o Madurão totalmente pelado. Uau!  Maravilhoso! exclamações da minha esposa que logo pega   e beija a rosada cabeçona. Lena desce até as bolas e lambe para em seguida colocar uma na boca e segurar. O Pau subia e descia parecendo agradecer a gentileza das duas casadas/ putas que adoram foder com outros homens. Vestido pra cá, vestido pra lá, estavam as duas irmãs peladonas. São lindas! Disse o Macho. Deu beijos a perder as contas. Levou chupadas pra mais de metro. Lena olha para a irmã, sobe no sofá, fica de joelhos e debruça para a frente. Lurdes aproxima o Gui da bunda da Lena e chupa babando na cabeça do pau para lubrifica-lo. E com uma das mãos, coloca a cabe na entrada do cu da mana que se abre toda, e vem de leve para traz, metendo o necessitado buraco no duríssimo cacete. –  Fode querido!  Fode essa bunda!  Diz a Lurdes. Lena dava rápidas reboladas, mas   optou em ficar com os seios colados na cama enquanto mantinha a bunda levantada. O Safado acavalou na novata/puta e desceu com tudo. Foi pela impressão que tive, uma bola junto. –  Só impressão!  Mas o cu dela estava literalmente tomado pelo espetaculoso caralho. Lurdes foi beijando o pescoço, o rosto e concluiu o trecho   colando seus lábios nos da irmã. Mana!  Não falei que era grande? Bem como eu queria!  Então fode minha linda, fode!   O cara sabia foder um cu.  Tinha jeito e estilo. Bombava com razoável velocidade, fazendo Lena suspirar e pedir mais e mais eu quero mais me fode vaiiiiiii.   Num repente, Lena suga a boca da Lurdes, geme alto e consegue dizer:  Não pare de foder meu cu……estou   goooozaaaannndooooooo   uiiiiiiiiiii que delicia de pauuuuuuuu   você é gostosão com essa   pauuuuu   uiiiii aiii hahhhhhhhhhhhhh            e estava o cu da Lena arrombado. O Cara fodeu muito!  O cabeça branca e bom de sofá. Separadas nos pós beijo, Lurdes vem olhar o estrago. Mana!  Teu cu piscou!  Quer mais querida?  –  Quero!  – Uma vez cada tá?  –  Risos e Lena deu lugar a sua irmã mais velha casada comigo. – Passei gel. Alisei o   cacete do Macho. Lambuzei o cu da esposa/puta. Estava tudo pronto para a penetração. Um lindo beijo da Lurdes na boca do Macho e virando de costas, foi para o sofá e começou a levar.  Lena se apresentou   e ajudando, segurou o cacetão para entrar reto. – O pau comeu. Comeu o cu da minha esposa. Ela adora mais de 20 cm na bunda. Estava levando 21. Foi maravilhosamente fodida. Aliás, minha esposa fode muito gostoso. É uma Puta com P maiúsculo. E sua irmã, está no mesmo caminho. A putaria se estendeu até madrugada. Lurdes e Lena estavam devidamente bem comidas por um ótimo fodedor. Na Buceta o cara foi fatal!  Fez as duas gemerem, gritarem e até chorar de prazer e gozo. Foi um sucesso   absoluto que as duas pediram ao cabeça branca que voltasse no dia seguinte no mesmo horário. – Tudo bem-queridas! Eu venho! Posse trazer a Miriam? –  Ela é completa   adora um pau e duas Bucetas. – (risos) – Sim   claro!  Traga! Completou Lurdes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *