Pau na matemática

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE
Telegram 
Entre agora!

Uma garota de 15 anos já sabe muito bem como seduzir um homem. E foi assim que levei meu professor à loucura na cama.

Estávamos quase no fim do ano e decididamente eu seria reprovada em matemática, George meu professor era um quarentão enxuto, diziam que ele tinha caso com uma aluna do terceiro ano, isso não era provado mas que ele era chegado numa novinha ah isso era!

faltando menos de duas semanas para o fim das aulas iniciei meu proposito de seduzi-lo e tentar uns pontinhos a mais. Comecei a usar roupas mais colantes, as blusas mais justas sem sutiã por baixo…fui percebendo que ele começara a me notar . ele havia marcado uma aula extra para os alunos que fatalmente estavam pendurados eu era uma, nesse dia fui de mine saia e logo após o recreio entrei no banheiro e retirei a calcinha. Finalmente ficamos a sós na sala… enquanto ele explicava um exercício deixei uma caneta cair, ele muito cavalheiro e nada maldoso abaixou-se para apanha-la e teve uma visão certamente aprasivel para o olhos de um lobo …

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE
thor hammer gel amostra grátis

_ Gisele a caneta…

_ obrigado professor…

_ seus pais não ligam de você sair assim?

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE
thor hammer gel amostra grátis

– de saia? Não…

`George chegou próximo ao meu ouvido falando baixinho…

_ sem calcinha, sem sutiã;;;

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE
thor hammer gel amostra grátis

_ ah …

_ Vamos voltar ao quadro…acho que paramos aqui…

Novamente deixei a caneta cair.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE
Telegram 
Entre agora!

George olhou para a porta da sala certificando se que não havia ninguém e abaixou-se bem de frente para mim, as pernas estavam abertas dando uma visão total da minha xoxota, ele ficou ali olhando por alguns minutos…era visivel sua excitação.

`_ acho melhor sentar aqui e te explicar …

George puxou a cadeira ficando de frente pra mim.

Coloquei a caneta entre as pernas obrigando-o a pega-la

– Gisele essa sua caneta é bem safadinha … disse colocando-a no colo, sob a calça já estufada.

Sem muitos pudores busquei a caneta tocando-o fazendo com que ele soltasse um gemido.

_ professor o senhor podia dar umas aulas particulares …

– se você quiser passar na minha casa logo mais…mas você sabe que ninguém pode saber…

– claro… passo no seu prédio as 5 ta bom?

– não atrase dou aula as 8 pro pessoal do terceiro

As 4 horas eu estava no prédio dele, pegando-o de surpresa, ele atendeu a porta com um short solto que deixava transparecer que não usava cueca.

_ Não havíamos marcado as 5?

_ se tou atrapalhando volto depois…

_ claro que não, entre vou colocar uma roupa

_ não esquente professor …já vi homens sem cueca antes ,,,posso usar seu banheiro?

_ Claro…

Não pensei duas vezes, tirei a roupa e voltei para sala

_ Gisele o que é isso?

_ posso ficar mais a vontade não é?

George estava estático, apenas o pau se movimentava crescendo debaixo do short largo.

_ Meu Deus menina …

– sem essa professor …vai dizer que vc nunca comeu uma aluna antes?

_ Vc é uma garota. se fosse mais velha…

_Vamos combinar uma coisa? Vc me ensina matemática e eu te ensino a comer uma aluna que tal?

_ loucura,

Os poucos me encostei nele as mãos tremeram ao tocarem meus peitinhos duros

Joguei-o no sofá ajoelhando e puxando seu pau para fora do short, iniciando um boquete que o fez apertar forte o sofá…

As primeiras gotas do leite lambuzaram a cabeça grossa e roxa. Sem muito pensar arranquei seu short e sentei em seu colo. Com as mãos ajeitei o pau bem na entrada da xota e forcei a entrada rebolando George mordia minhas costas.

Em poucos minutos eu estava montada em George, ele delirava com meus movimentos ágeis e precisos, eu subia e descia deslizando em seu pau grosso.

Eu certamente surpreendera meu mestre na cama, estava acostumada a transar com homens mais velhos desde meus 13 anos quando aprendera o abc da putaria. Apesar da pouca idade eu era bem experiente.

Num grande urro de prazer George despejou um jato quente dentro de mim. Ele até era um homem gostoso mas não era do tipo que me satisfazia.

Enquanto ele se recuperava eu já me insinuava para um segundo ato…de quatro eu deixava claro que queria que ele me comesse o rabo. O homem enlouqueceu …enfiou a língua em meu cuzinho rosado enquanto se punhetava,

– gosta de um cuzinho apertado professor? Eu gosto de ser comida com força…

George parecia incrédulo. Mas fez a minha vontade, socou com força, de forma vigorosa me fazendo gemer alto e gozar. Adorava me sentir uma cadela no cio.

Transamos novamente até que ele a contragosto precisava sair para dar aula. Durante as duas semanas eu quase todas as tardes ia ate sua casa para as aulas particulares, consegui por mérito que ele me aprovasse, depois disso ainda voltei outras vezes para ensina-lo algumas putarias.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *